“O futuro do planeta é o que eu como”

A AIESEC aliou-se à Organização das Nações Unidas na concretização dos Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável. De entre os 17 Global Goals, são vários os que se relacionam com o consumo responsável e a proteção do planeta. Hoje, concentrando-nos nestes propósitos, apresentamos-te um dos problemas que impossibilita a obtenção dos objetivos definidos pela ONU.

São cada vez mais os cidadãos que optam por uma alimentação vegetariana ou até vegan. Mas porquê? O que é que os levará a fazer estas escolhas tão radicais? Será a educação? Provavelmente sim.

Atualmente, é frequente encontrarmos artigos, reportagens, alertas, entre muitas outras fontes de informação sobre o perigo que a nossa alimentação se pode tornar. Podemos ouvir falar sobre a emissão de gases CO2, devido ao aumento da criação de gado, e de como estes prejudicam a camada de ozono. Tudo isto de modo a conseguir satisfazer as necessidades dos humanos.

sheep-1586747_960_720

Muitos animais são hoje em dia artificialmente criados e desenvolvidos para puro consumo. A diminuição do consumo de carne – já que a extinção do mesmo será improvável, pelo menos nos anos que se avizinham – seria bastante benéfica e um claro mecanismo para a luta contra o aquecimento global, o desperdício de água, a destruição de espaços verdes, entre muitos outros problemas ambientais.

Será que vale a pena refletir sobre o que vamos almoçar ou jantar? Com certeza que sim.

A ideia de que o consumo de carne e de peixe é essencial é-nos incutida desde bebés, mas já se extinguiu para muitos, que vivem perfeitamente e, em praticamente todos os casos, melhor em termos de saúde do que quem ingere produtos de origem animal.

vegetables-1736170_960_720

Cada vez mais, surgem resultados para comprovar os benefícios de um estilo de vida vegetariano ou vegan. Cancro do pâncreas, colón, próstata e outros são algumas das várias doenças que podem ser provenientes das carnes. Segundo vários estudos científicos, a simples eliminação da carne nas refeições fez com que a gravidade destas doenças diminuísse drasticamente ou até chegasse à extinção! Estaremos a alimentar as nossas futuras doenças? Crescemos ensinados que não, mas estamos errados.

Existe alguma solução? Várias, até. Falo da carne porque é um alimento conhecido como essencial, mas quem fala da carne pode falar do peixe, do leite, dos ovos, basicamente de todos os derivados de animais. A noção destes problemas tem de ser ensinada a toda a gente para que em união consigamos aproveitar ao máximo o nosso planeta e não deteriorá-lo. Passa tudo pela educação, pela consciência de cada um sobre como agir, pela obrigação que temos para com o nosso meio ambiente. Se para alguém é impossível deixar o consumo deste tipo de alimentos, a opção pode passar por reduzir quantidades ou até evitar; quem sabe, um dia, deixa por completo e de livre vontade ao aperceber-se do mal que faz à saúde e ao planeta e do quão fácil é mudar de hábitos!

Joana Rodrigues

share post to: